"Uma atividade voluntária exercida dentro de certos e determinados limites de tempo e espaço, segundo regras livremente consentidas, mas absolutamente obrigatórias, dotado de um fim em si mesmo, acompanhado de um sentimento de tensão e alegria e de uma consciência de ser diferente de vida cotidiana." (Huizinga, Johan. Homo ludens: o jogo como elemento da cultura. 5ed. Saão Paulo: Perspectiva, 2007)
De todos os brinquedos que a vida me deu, o que mais me cativou foi o de jogar com as palavras. O jogo se faz completo quando escrevo e alguém replica, quando replico o que escrevem... É na intenção de reunir jogadores e assistência, que meu blog é feito.



sábado, 13 de agosto de 2011

sorrateira

quebrando o silêncio
ela sussurra
assobia
me assiste e me açoita.
poderia sentir serenamente
sua presença
mas deixo disso...


a preguiça
sossobra cada osso
embebendo-me
em puro ócio.

7 comentários:

EROS disse...

A consciência que temos
De termos que ter coragem
As vezes nos bloqueia e ficamos sem idéias,
travamos... e no ócio ficamos.
Não somente da falta de ferro
pode vir a preguiça... ou da falta da coragem de pensar...
Mas do nosso próprio super ego e de nossas dores,
que nos chacoalham
Nunca deixando-nos descansar.

Bella disse...

não quebro teu silêncio
de vidro
mas talho
a consciência
com meu sangue
pulsando
quente
silente
sorrateiro
no teu mangue

Elimacuxi disse...

meu silêncio é mesmo frágil
mas se há algo em que me perco
é na inconsistência exangue
da minha consciência
por ti talhada
em hora iluminada...

Maria Mortinha disse...

O silencio
antes reclamado
agora, quebrado
E em seguida, estilhaçado
foi eternizado
"pelo discurso fátuo"
do ser infortuno
E esquivançado.

Cora disse...

Ócio,
o cio,
a Cia.
e a preguiça tardia

Elimacuxi disse...

Sorrateira é a preguiça...

Cora disse...

Eu sei :)