"Uma atividade voluntária exercida dentro de certos e determinados limites de tempo e espaço, segundo regras livremente consentidas, mas absolutamente obrigatórias, dotado de um fim em si mesmo, acompanhado de um sentimento de tensão e alegria e de uma consciência de ser diferente de vida cotidiana." (Huizinga, Johan. Homo ludens: o jogo como elemento da cultura. 5ed. Saão Paulo: Perspectiva, 2007)
De todos os brinquedos que a vida me deu, o que mais me cativou foi o de jogar com as palavras. O jogo se faz completo quando escrevo e alguém replica, quando replico o que escrevem... É na intenção de reunir jogadores e assistência, que meu blog é feito.



domingo, 7 de agosto de 2011

quando amanheço enluarada
a claridade refletida no espelho
me cega
então, 
tateio em vão as horas quentes
do dia
absorta num oceano de sensações desencontradas.

e me surpreendo
pois nesses dias obscuros
do lado de fora
o que se vê
é só brilho.

9 comentários:

Marcella Anjinha disse...

óh!... :@

Cora disse...

será que eu consigo me alimentar de luz?

''SOL'' disse...

mt lindo!... óóhhh!!!!!! :@

''SOL'' disse...

aí Cora coralita... q análise ''sintática é essa''... essa poesia ñ é para entender... mas sim... apreciada... óh... amei s2

hélio dantas disse...

não. não se surpreenda. #ficadica

Nikitta disse...

Muito bom! Parabéns! Você é mesmo uma artista!

Plácido Fernandes disse...

Linda!!!

Elimacuxi disse...

Helio querido
A surpresa e o estranhamento fazem parte dessa complexa estrutura, afinal, como tantos podem vocalizar que estou bem justamente nos dias em que mais me arde a fúria de não saber como estou, nem quem sou?
Paranoia, Histeria? dou de ombros e uso como matéria prima pra tosca poesia...

o Novato disse...

Caramba, acho muito legal quem usa substantivos para mostrar sensações e adjetivos.