"Uma atividade voluntária exercida dentro de certos e determinados limites de tempo e espaço, segundo regras livremente consentidas, mas absolutamente obrigatórias, dotado de um fim em si mesmo, acompanhado de um sentimento de tensão e alegria e de uma consciência de ser diferente de vida cotidiana." (Huizinga, Johan. Homo ludens: o jogo como elemento da cultura. 5ed. Saão Paulo: Perspectiva, 2007)
De todos os brinquedos que a vida me deu, o que mais me cativou foi o de jogar com as palavras. O jogo se faz completo quando escrevo e alguém replica, quando replico o que escrevem... É na intenção de reunir jogadores e assistência, que meu blog é feito.



domingo, 24 de junho de 2012

para a moça mais bonita*


quando você vier
com seus braços
de envolver,
com dias que nasçam
sob sol ou chuva
e feito uma viúva
sussurrar baixinho
que tudo acabou...

eu, feliz,
ficarei toda entregue
e farei seu jogo
deixo
o passageiro fogo
de dias desencontrada
pra viver intensa
uma quinzena de ti
minha amada.

e quando te fores
com cara de outono
sentirei as dores
desse desengano:
ficar à espera
da volta tua
no final do ano.

*minhas férias

Um comentário:

Ágda disse...

Talvez tua amada
e tão amada minha
deseje apenas dar-te descanso
sob um leve canto supostamente ilusório
outrora aprazível de muitos encantos.