"Uma atividade voluntária exercida dentro de certos e determinados limites de tempo e espaço, segundo regras livremente consentidas, mas absolutamente obrigatórias, dotado de um fim em si mesmo, acompanhado de um sentimento de tensão e alegria e de uma consciência de ser diferente de vida cotidiana." (Huizinga, Johan. Homo ludens: o jogo como elemento da cultura. 5ed. Saão Paulo: Perspectiva, 2007)
De todos os brinquedos que a vida me deu, o que mais me cativou foi o de jogar com as palavras. O jogo se faz completo quando escrevo e alguém replica, quando replico o que escrevem... É na intenção de reunir jogadores e assistência, que meu blog é feito.



quinta-feira, 17 de novembro de 2011

promessa para Adahra

Vinde a mim, morena ditosa
e te faço carinho, dou-te um ninho
um perfume, um descanso, uma rosa
poesia, alegria, nova estrada...
tudo o que quiseres
a vida numa madrugada!

3 comentários:

Ágda disse...

Muito lindo, muito lindo.
Esperta tu, em prometer a vida numa madrugada!

kurt_loko_abreu disse...

boa eli gostei mesmo pois a vida na madrugada será uma coisa vertiginosa

Cora disse...

Adahra, saudade dessa morena ditosa.
Sua risada escandalosa
Ela nos Rosa
e nas madrugadas
amanhecer em prosa...
humor negro, e piada indecorosa