"Uma atividade voluntária exercida dentro de certos e determinados limites de tempo e espaço, segundo regras livremente consentidas, mas absolutamente obrigatórias, dotado de um fim em si mesmo, acompanhado de um sentimento de tensão e alegria e de uma consciência de ser diferente de vida cotidiana." (Huizinga, Johan. Homo ludens: o jogo como elemento da cultura. 5ed. Saão Paulo: Perspectiva, 2007)
De todos os brinquedos que a vida me deu, o que mais me cativou foi o de jogar com as palavras. O jogo se faz completo quando escrevo e alguém replica, quando replico o que escrevem... É na intenção de reunir jogadores e assistência, que meu blog é feito.



domingo, 13 de outubro de 2013

historinha com final feliz para o dia das crionças

sorrateiro ele a espreita
lança-se de surpresa
e a leva consigo para o meio da pista
 - que conquista!
dançam e entre volteios
ele ensaia um galanteio
e segreda-lhe ao ouvido
que a tem lido
e muito gostado.

ela pára para reparar melhor
e diz-lhe, como a ela convém
com suave espanto e desdém:

pois todo homem é cego...
para saber-me sem medo
para entender o segredo
é preciso mais que uma lida
mais que uma vida ou um baile:
decifra-me e devoro-te,
lê-me agora,
mas lê-me em braile! 

2 comentários:

Vera Barreto disse...

Gostei muito! Li-o agora, após saber pelo face, que aliás, tem sido para nós, um grande aliado no tocante a expressão artística e cultural! beijão sua poderosa! Verinha barreto

Elimacuxi disse...

Verinha querida, muito obrigada pelo carinho!!!! um beijo