"Uma atividade voluntária exercida dentro de certos e determinados limites de tempo e espaço, segundo regras livremente consentidas, mas absolutamente obrigatórias, dotado de um fim em si mesmo, acompanhado de um sentimento de tensão e alegria e de uma consciência de ser diferente de vida cotidiana." (Huizinga, Johan. Homo ludens: o jogo como elemento da cultura. 5ed. Saão Paulo: Perspectiva, 2007)
De todos os brinquedos que a vida me deu, o que mais me cativou foi o de jogar com as palavras. O jogo se faz completo quando escrevo e alguém replica, quando replico o que escrevem... É na intenção de reunir jogadores e assistência, que meu blog é feito.



terça-feira, 1 de outubro de 2013

dane-se
dane-se o que pensa
dane-se o que vê
dane-se o que se dana
nessa fresta, nesga
nesse entre
teu juízo
e minha fala
porque o que digo
pra mim mesma
vou ouvir
mesmo que seja
um sussurro desesperado
calando um berro de amor
e enchendo esse tempo de danos.

4 comentários:

Cora disse...

dane-se
dane
dá né?
se...

Roberto Mibielli disse...

Não nem pense nisso
Esquece o sofá e suas culpas
Esquece as almofadas
Que fadas não são
Não entorne baldes
pelos corredores rumo à cama
não há corredeiras ali
nem aventuras arriscadas
ponha a periguete numero três
vermelha escândalo
divida um copo de cachaça
com um santo
e venha pra rua

Elimacuxi disse...

em vermelho escândalo
ela dá pinta:
estilosa, ignora a rebordosa
alguns julgam-na:
- sebosa
outros querem-na:
- gostosa
orgulhosa e perigosa
aperta o botão do dane-se
e apenas goza!

Cora disse...

o povo grita:
- sebosa!
joga pedra, joga merda
"Ela é boa de cuspir"

mas pros que chamam de
- gostosa
jogam beijos, jogam ganas
"ela é boa pra despir"