"Uma atividade voluntária exercida dentro de certos e determinados limites de tempo e espaço, segundo regras livremente consentidas, mas absolutamente obrigatórias, dotado de um fim em si mesmo, acompanhado de um sentimento de tensão e alegria e de uma consciência de ser diferente de vida cotidiana." (Huizinga, Johan. Homo ludens: o jogo como elemento da cultura. 5ed. Saão Paulo: Perspectiva, 2007)
De todos os brinquedos que a vida me deu, o que mais me cativou foi o de jogar com as palavras. O jogo se faz completo quando escrevo e alguém replica, quando replico o que escrevem... É na intenção de reunir jogadores e assistência, que meu blog é feito.



segunda-feira, 28 de maio de 2012

qualquer amor*

falta a salvação da próxima alma
falta a alma para a próxima reza
falta reza para o próximo milagre
e falta o milagre.

falta a palavra da próxima linha
falta a linha da próxima estrada
falta a estrada da próxima viagem
e falta a viagem da próxima picada

falta a picada da próxima consciência
falta a consciência da próxima culpa
falta a culpa do próximo pecado
e falta o pecado.

porque sem você,
o que sinto e penso
é que a vida parece
em suspenso.

*um pouquinho de saúde

14 comentários:

Sandra disse...

Resumiu tudo o que estou sentindo: "falta."

Anônimo disse...

Tua falta em mim;
Em mim tu vagas;
Vagas em amor e paixão;
Paixão pura de verdade e de amizade.



ELI MACUXI, MAÍSCULA é as tuas palavras em falas maravilhosas, que ilumina nossas vidas e
que nos leva a compreender uma viagem de sentimentos. Parabéns pelo teu escrito.
Aram...

Anônimo disse...

nada te falta porque sabe que tens
mas lamenta como sempre esses seus tantos e infinitos bens
pare com a salvação, com a reza, com o milagre
pare

não complique tanto essa dor doentia
não compartilhe dessa minha agonia
pare de me roubar as palavras
pare de ser tão fria

sem linha, estrada, viagem
sem picada, consciência, culpa
sem pecado, sem mim, sem luta
te deixo meu medo e a saudade crua

Elimacuxi disse...

que faço com medo e saudade?
por que tão pouco me deixas?
deixe pele, suor, lealdade
sorriso e suaves madeixas
deixe um pouco do cheiro que é teu
deixe um pouco do gosto que é nosso
deixe toda distância pra trás
e receba o que te dar eu posso
se tu achas que sou doentia
e não sabes se é bom ou ruim
o encanto da dor-poesia
em teu corpo revelando a mim
eu te peço, me espere na estrada
sem atraso, sem culpa nem reza
que de amores te cubro a jornada
com a cor que meu coração preza.

Roberto Mibielli disse...

Feita a salvação da próxima alma
O que sobra da reza que não se fará
O que sobra do milagre não ocorrido
O que sobra do não vivido

Feita a palavra na próxima linha
O que sobra da estrada que não será
Mais reta que a viagem do poeta
Pelos picos do não aplicado

Feita a picada da consciência abismada
O que da culpa na gente não restará
Em pecados mal explicados
Pelas sobras do não existido

É que enquanto você sobra
Quando toda a obra
Vem abaixo
Não sei mais se me encaixo

Roberto Mibielli disse...

ops, errei um verso, é "...dobras do não existido" no último verso da terceira estrofe...
e não "sobras"

Anônimo disse...

Fiques com o que resta e crie um fim
Não me pus neste lado triste por ti
Tampouco a escondi de mim

A tua distância se fez proposital
Porque quiseste talvez
Livrar-me de algum mal

O que faço de ti, doce desejo
Com a pele tão quente
E o negado beijo

-

Sobre a jornada
Por que falas tão segura
Dessa estrada abandonada
Que não passa de uma rua

Nem lembras o caminho
Porque sequer me procuraste
Deixou-me num vazio
Tu me abandonaste

Se quisesses saberia
E não foi me encontrar
Hoje dizes com categoria
"Venha me buscar"

Ora, pare de conversa
Não me deixes em agonia
Essa tua promessa
Sei que é fraca e fria

Não vou insistir
Se sei que não me queres
Vou me despedir
Procurar outras mulheres

Elimacuxi disse...

você fala com propósito
mas não mostra sua cara
lamento mas não aceito
atitude tão avara
se um dia te abandonei
- e nem sei se isso é verdade -
certamente houve motivo:
eu detesto falsidade
não gosto de olhar furtivo
nem de palavra vazia
não gosto de quem se esconde
se camufla e me vigia

sou egoísta assumida
não quero ser doutro jeito
só fico com quem me agrada
já falei muito a respeito
e quem a essa altura se esconde
pra reclamar do 'passado'
já não tem nenhum direito
além de apanhar calado
das dores que traz no peito!

:) rsrsrsrsrsrsrsrsrs

Anônimo disse...

Como se eu precisasse assinar.

Elimacuxi disse...

quem não existe
não precisa assinar
assim se exime
das palavras soltas no ar
e se oprime,
ao não se revelar:
é de avareza tamanha
que sozinho se consome

mas não me tira
o sono nem a fome
pois o que não existe
não precisa mesmo ter nome.

Anônimo disse...

Que seja. Despeço-me.

Anônimo disse...

Como me empolga o duelo das palavras
Do fundo da alma arrancadas!
Mais que palavras
Sentimentos em forma de arte! Inspiram sensações marcantes, quase posso seus aromas
Envolventes.
Intrigantes.
Resta-me apenas desfrutar...do amor transcrito
De dois poetas que no fundo só querem se amar!

Anônimo disse...

*sentir seus aromas

Elimacuxi disse...

eu, na verdade, só posso amar ao que conheço, ao que reconheço. Aqui, amo apenas as palavras, uma vez que jogo no escuro e apenas eu mostro minha cara...