"Uma atividade voluntária exercida dentro de certos e determinados limites de tempo e espaço, segundo regras livremente consentidas, mas absolutamente obrigatórias, dotado de um fim em si mesmo, acompanhado de um sentimento de tensão e alegria e de uma consciência de ser diferente de vida cotidiana." (Huizinga, Johan. Homo ludens: o jogo como elemento da cultura. 5ed. Saão Paulo: Perspectiva, 2007)
De todos os brinquedos que a vida me deu, o que mais me cativou foi o de jogar com as palavras. O jogo se faz completo quando escrevo e alguém replica, quando replico o que escrevem... É na intenção de reunir jogadores e assistência, que meu blog é feito.



domingo, 4 de dezembro de 2011

amor de infância

hoje uma imagem da lembrança
me voltou tão forte e limpa na memória
que senti o mesmo encanto de outrora:

o meu rosto então sentindo o sangue quente
o coração ganhando vida e vindo à boca
a vontade de estar perto, junto, rente
 - toda razão para não sentir, seria pouca.

hoje amanheci pensando nele
hoje amanheci feliz da vida
querendo repetir na minha pele
a emoção há tanto já sentida

e ele me atendeu, que alegria!
respondeu aos meus apelos, que paixão!
novamente solto o grito entredentes:
É CAMPEÃO,
TIMÃO, TIMÃO!

11 comentários:

Anônimo disse...

péssimo, sem graça e fedorento .

Elimacuxi disse...

Vou considerar que sse comentário só pode ser de um vascaíno: obviamente parte de alguém que não entende a beleza e a poesia de ser CAMPEÃO! hahaha

Flaider Pimentel disse...

Gostei :]. Sei lá o que sou, mas é uma das poucas pessoas que comemoram a vitória de seu time, e não perdem seu tempo falando da derrota dos outros. Eli. Você é demais!!

mavi disse...

Interessante!! pra comemoração de um titulo ficou bem legal ... prabéns .. ficou perfeito!! gosteiii!!

DENNYZ ABEL T MORAES disse...

considerando que eu sou palmeirense.... vou te dizer que curti teu poema... bela homenagem... parabéns...

Klinger Souza disse...

Infância e tolerância em meio a "Vascancia" e a punjança. Alegria em meio as lagrimas e os risos de felicidade. O mosqueteiro guerreiro que salva a alegria de uma nação, o eterno PALHAÇO da noite que nos faz transbordar de Emoção.

Cora disse...

Imagino o sufoco
No horário da partida
Gritaria era pouco
Pelo Timão da sua vida

Outro momento de glória
Que valeu o ano inteiro
Foi ver a linda vitória
Do recente amor: Cruzeiro

Anônimo disse...

haha, sou vascaíno sim prof, mas fora isso está muito bom, adoro você .

Rubens da Cunha disse...

hehe
gostei...
beijos

Ágda disse...

E foram brados e brados por esse time que dá emoção do futebol de verdade!
PENTA CAMPEÃO!

Anônimo disse...

Oi! Prazer! Gostei bastante do poema e até me surpreendi pois pensei q falasse do amor entre duas pessoas. E curtí d+ seu senso de humor em alguns comentários bjssss(Alex Macedo)obs: meu e-mail deu "prego"(kkk).