"Uma atividade voluntária exercida dentro de certos e determinados limites de tempo e espaço, segundo regras livremente consentidas, mas absolutamente obrigatórias, dotado de um fim em si mesmo, acompanhado de um sentimento de tensão e alegria e de uma consciência de ser diferente de vida cotidiana." (Huizinga, Johan. Homo ludens: o jogo como elemento da cultura. 5ed. Saão Paulo: Perspectiva, 2007)
De todos os brinquedos que a vida me deu, o que mais me cativou foi o de jogar com as palavras. O jogo se faz completo quando escrevo e alguém replica, quando replico o que escrevem... É na intenção de reunir jogadores e assistência, que meu blog é feito.



sexta-feira, 27 de maio de 2011

presença russa que me atiça e aguça

Ele entra sorrateiro nesta sala de jantar
e assiste ao que faço
eu em minha contorção
fica em silêncio e eu não creio
que não tenha o que falar
é bem real mas bem parece uma alucinação.

Do outro lado do planeta pisca em verde imenso mapa
e é dali que espiaria toda minha exposição
será que um dia conheceu-me? deu-me beijo? deu-me tapa?
por que viria com frequência, dia sim, semana não?

Sua presença me intriga mas não posso ser direta
pois não tenho em mãos os meios de inquiri-lo de uma vez
virá só pelas palavras ou virá pela poeta?
o que busca, insanidade ou restos de lucidez? 

Sempre que miro o painel, quando acesso esse espaço
vejo e ardem-me perguntas doloridas num soluço
quem me espia enquanto a lama destas palavras eu fuço?
acabemos com esse drama,
quem és tu, calado russo?

2 comentários:

thiagoworld disse...

_Ouviu a moça! Pode ir respondendo, russo!
_YA ne ponimayu, portugalʹskiĭ!

xD

Seus poemas são de encantar minha fala Eli! Saudades!

Elimacuxi disse...

thi, ele voltou e não consigo rastreá-lo...snif... será que é uma loura alta? um gangster perigoso? um nerd de óculos quadrados????