"Uma atividade voluntária exercida dentro de certos e determinados limites de tempo e espaço, segundo regras livremente consentidas, mas absolutamente obrigatórias, dotado de um fim em si mesmo, acompanhado de um sentimento de tensão e alegria e de uma consciência de ser diferente de vida cotidiana." (Huizinga, Johan. Homo ludens: o jogo como elemento da cultura. 5ed. Saão Paulo: Perspectiva, 2007)
De todos os brinquedos que a vida me deu, o que mais me cativou foi o de jogar com as palavras. O jogo se faz completo quando escrevo e alguém replica, quando replico o que escrevem... É na intenção de reunir jogadores e assistência, que meu blog é feito.



domingo, 27 de março de 2011

à primeira vista

:
serenou espanto
nos poros pequenos
-
espraiou pureza 
nos olhos serenos

...

4 comentários:

Maysa disse...

uma,duas,trez palavras explicam de forma clara a ternura de um ser...



a poetisa

Roberto Mibielli disse...

veja como o seu índice de poemas vira posia pura:

surpresas
à primeira vista
num dia de sol lícito e solidário
explicação (não sou bandeira)
Um teste e uma certeza sobre a solidão
Espelhada
gritando mesmo, pra ninguém ouvir
overdose de você

Elimacuxi disse...

num é que faz um poema messsssm? bom ter vc aqui.bj

Vamos viajar disse...

breve e bonito =]