"Uma atividade voluntária exercida dentro de certos e determinados limites de tempo e espaço, segundo regras livremente consentidas, mas absolutamente obrigatórias, dotado de um fim em si mesmo, acompanhado de um sentimento de tensão e alegria e de uma consciência de ser diferente de vida cotidiana." (Huizinga, Johan. Homo ludens: o jogo como elemento da cultura. 5ed. Saão Paulo: Perspectiva, 2007)
De todos os brinquedos que a vida me deu, o que mais me cativou foi o de jogar com as palavras. O jogo se faz completo quando escrevo e alguém replica, quando replico o que escrevem... É na intenção de reunir jogadores e assistência, que meu blog é feito.



quarta-feira, 15 de junho de 2011

Nina

Nina menina
é rebuliço
jura-me que nada tem
me joga um feitiço
e se apossa de mim.

Na noite de lua
quase sem nuvens e ameaças
Nina trapaceia com sua voz de sereia
entre os lábios doces de pirraça.

Nina
Sacana
Insana
Morfina e eu anestesiado
Otário,
Nécio:
Estupidamente emocionado.

5 comentários:

paulo henrique disse...

eu gostei, só não quero ser enfeitiçado por essa nina. apezar de que aqui em Boa Vista o que não falta é nuven tanto que formos enfeitiçado pelas águas de São Pedro não pela nina, ou pelo fenomeno "el nino" um abraço a todos

Elimacuxi disse...

Paulo,
Se reparares, perceberá que esse poema contém um acróstico. É que ele foi feito em homenagem à cantora Nina Simone, a quem é impossível ouvir sem se emocionar.
Valeu pela visita!

Cora disse...

Que lindo, Eli. Por conincidência essa semana um colega meu estava com uma camiseta da Nina Simone.
Realmente, uma grande cantora


beijo

Alcemir disse...

Ja me senti assim. Louco e besta por alguém. Eu apenas acho que isso é amor!

Plácido Fernandes disse...

A voz dela eh inexplicavel!!!!!!
Emociona demais msm.