"Uma atividade voluntária exercida dentro de certos e determinados limites de tempo e espaço, segundo regras livremente consentidas, mas absolutamente obrigatórias, dotado de um fim em si mesmo, acompanhado de um sentimento de tensão e alegria e de uma consciência de ser diferente de vida cotidiana." (Huizinga, Johan. Homo ludens: o jogo como elemento da cultura. 5ed. Saão Paulo: Perspectiva, 2007)
De todos os brinquedos que a vida me deu, o que mais me cativou foi o de jogar com as palavras. O jogo se faz completo quando escrevo e alguém replica, quando replico o que escrevem... É na intenção de reunir jogadores e assistência, que meu blog é feito.



domingo, 29 de novembro de 2009

Somos todos idiotas

           A julgar pela dificuldade da prova de História apresentada pela Universidade Federal de Roraima nesse domingo, a sensação que fica é essa. Ou o examinador pensa que somos todos imbecis, ou o próprio é um imbecil, ao propor uma prova tão simplória. 
           As alternativas presentes nas questões são tão ridículas que denotam um desrespeito. Não é possível crer que alguém apto a prestar o vestibular possa confundir, no contexto da guerra fria  a URSS com Japão, ou que alguém acredite que o Regime Militar  garantiu "liberdade de imprensa"no Brasil!
            Levando em consideração que a prova de história é específica para metade dos cursos oferecidos pela UFRR, creio que estas deficiências não podem se perpetuar ano após ano.
            O que esse tipo de exame provoca é a ridicularização de quem estuda. Lamento por meus alunos, por todos aqueles que se dedicaram arduamente ao estudo da história, uma vez que, com erros de digitação, vocabulário indigente e frases muito mal construídas, o vestibular 2010 da UFRR tenha dado, na prova de história, chances iguais a quem não estudou com afinco.

4 comentários:

athinna disse...

Concordo plenamente ... :(

Cora disse...

E com a concorrência baixíssima este ano, muita gente "estranha"vai passar nesse vestibular, pode ter certeza...

Cora disse...

digo, gente que não estudou nem um pouquinho

hélio dantas disse...

esse desrespeito (que tem muito do mito de que história é "algo facinho" que qualquer uma sabe falar generalidades, qualquer um pode ensinar, qualquer um pode fazer) é algo que vem de longe... acho que começa na primeira aula da primeira série, restringindo-me apenas ao âmbito escolar...