"Uma atividade voluntária exercida dentro de certos e determinados limites de tempo e espaço, segundo regras livremente consentidas, mas absolutamente obrigatórias, dotado de um fim em si mesmo, acompanhado de um sentimento de tensão e alegria e de uma consciência de ser diferente de vida cotidiana." (Huizinga, Johan. Homo ludens: o jogo como elemento da cultura. 5ed. Saão Paulo: Perspectiva, 2007)
De todos os brinquedos que a vida me deu, o que mais me cativou foi o de jogar com as palavras. O jogo se faz completo quando escrevo e alguém replica, quando replico o que escrevem... É na intenção de reunir jogadores e assistência, que meu blog é feito.



quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

E se eu te deixasse
e se eu desistisse
e se eu simplesmente
me calasse e você sumisse?

Tonta de silêncios
dissimulo a ira
que você me planta
nessa vã latência:
por mais que me fira
eu me nego, cega,
a mirar os gritos
dessa tua ausência.

8 comentários:

Fabiola Lima disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fabiola Lima disse...

dramático.
gostei :)

Roberto Mibielli disse...

Se você me deixasse
Se você desistisse
Se você tão simplesmente
Se calasse e eu sumisse

Não haveria motivos
Entre ativos e passivos
Para revirar as luas de Vênus
Embaraçar cossenos senos
E tangentes
Em vias lactentes
Aos latidos e demências

Valeriam a pena essas ausências?

Elimacuxi disse...

Valeria a pena?
Valeria outro poema:
sou eu quem observa
e recolhe a evidência
da convivência desgastada
da vida com gosto de nada
amparada em minutos sem cor.

cresce o tédio e a afasia
apagando por completo
o unir versos diversos
do que já fomos um dia:
furiosa poesia...

FÁTIMA NUNES disse...

TODOS OS SENTIMENTOS MELHORES DE SAUDADE GOSTOSA DE TEMPOS E MOMENTOS DOCES..... ESTA NA MINHA HISTÓRIA DE VIDA ESSE POEMA , ACHO QUE CV LEI MINHA ALMA!!! AMEI!!!!!!!1

Charlecion Costa Paiva disse...

Lindo

Charlecion Costa Paiva disse...

Lindo

Charlecion Costa Paiva disse...

Lindo