"Uma atividade voluntária exercida dentro de certos e determinados limites de tempo e espaço, segundo regras livremente consentidas, mas absolutamente obrigatórias, dotado de um fim em si mesmo, acompanhado de um sentimento de tensão e alegria e de uma consciência de ser diferente de vida cotidiana." (Huizinga, Johan. Homo ludens: o jogo como elemento da cultura. 5ed. Saão Paulo: Perspectiva, 2007)
De todos os brinquedos que a vida me deu, o que mais me cativou foi o de jogar com as palavras. O jogo se faz completo quando escrevo e alguém replica, quando replico o que escrevem... É na intenção de reunir jogadores e assistência, que meu blog é feito.



segunda-feira, 31 de julho de 2017

Feita d'água.


http://cultura.culturamix.com/arte/esculturas-de-gelo
fluo líquida
espalhando-me empática
pelo terreno do outro

fluo líquida
e por vezes esbarro em gélidas superfícies
solidifico ali
presa à negativa temperatura
rígida
tomo formas belas
mas estou quase sem vida
sinto-me agredida
quando me vejo
pedra e sal
cubo de gelo braços atados
no peito arde um temporal...

é tempo de espera esse
vou ressecando aos poucos,
tomo ar
tomo ar
tomo ar
atinjo lenta a desintegração que me renova
é longo o processo que me leva, leve, de novo
ao movimento
fluido
solto.

me sei líquida de um jeito oposto
essa entrega ao terreno do outro
mas sinto gosto é quando sou contida
sinto gosto é de ser aquecida
gosto quando me sorvem
ou me evaporam
toda fervida.



Um comentário:

Ingrid Martins Esteves disse...

Ei Ely! Eu adorei. Gosto muito da sensação "fluida" de não saber bem por onde o seu poema irá me levar qdo me conecto com suas palavras brotadas destas mil almas que habitam um só corpo. Senti a parte "gosto é quando sou contida" como alma e corpo sendo "devorados " ...puro desfrute. Beijokas. 💋