"Uma atividade voluntária exercida dentro de certos e determinados limites de tempo e espaço, segundo regras livremente consentidas, mas absolutamente obrigatórias, dotado de um fim em si mesmo, acompanhado de um sentimento de tensão e alegria e de uma consciência de ser diferente de vida cotidiana." (Huizinga, Johan. Homo ludens: o jogo como elemento da cultura. 5ed. Saão Paulo: Perspectiva, 2007)
De todos os brinquedos que a vida me deu, o que mais me cativou foi o de jogar com as palavras. O jogo se faz completo quando escrevo e alguém replica, quando replico o que escrevem... É na intenção de reunir jogadores e assistência, que meu blog é feito.



sábado, 17 de setembro de 2016

posso
pois sou osso
sobrevivo
à carne
que entre a morte e a arte
estira-se sobre as sobras do tempo
estreita espaços
se importa
comporta
e conforma a vida.

4 comentários:

Marcos Nogueira disse...

Sou teu fã querida Poetisa. Amo teus poemas. Quando leio-os, eu fico sempre com a impressão que estamos juntos e que tu declamas com se estivemos numa conversa entre amigos. Bjo grande

Marcos Nogueira disse...

Sou teu fã querida Poetisa. Amo teus poemas. Quando leio-os, eu fico sempre com a impressão que estamos juntos e que tu declamas com se estivemos numa conversa entre amigos. Bjo grande

Kelly Alana disse...

Olá, estou tendo a oportunidade de conhecer seu trabalho agora em época de vestibular e confesso que estou admirada e ansiosa por ler suas poesias no livro "AMOR PARA QUEM ODEIA".
Porém não o encontro na internet para venda. Poderia me orientar onde posso comprá-lo?

Moro em Rondonópolis, Mato Grosso.
Um grande beijo.

Elimacuxi disse...

Kelly, o livro pode ser pedido pela internet através da editora da UFRR. Abraço.