"Uma atividade voluntária exercida dentro de certos e determinados limites de tempo e espaço, segundo regras livremente consentidas, mas absolutamente obrigatórias, dotado de um fim em si mesmo, acompanhado de um sentimento de tensão e alegria e de uma consciência de ser diferente de vida cotidiana." (Huizinga, Johan. Homo ludens: o jogo como elemento da cultura. 5ed. Saão Paulo: Perspectiva, 2007)
De todos os brinquedos que a vida me deu, o que mais me cativou foi o de jogar com as palavras. O jogo se faz completo quando escrevo e alguém replica, quando replico o que escrevem... É na intenção de reunir jogadores e assistência, que meu blog é feito.



sábado, 18 de julho de 2015

"Quero me encontrar mas não sei onde estou..." 
 "Acho que entendo o que você quis me dizer, mas existem outras coisas, consegui meu equilíbrio cortejando a insanidade..."
"... sempre existe uma luz, mas não me diga isso!"

Ando nessa noite à tua procura
em promessas e jejum
busco tua luz que tudo incendeia e cura
tua força que me conduz certeira
pra lugar nenhum.

Resfria o couro no aço
derrama-se
vermelha cobrindo esse gelo
escorre lentamente as asas
penetra o esgotamento dessa ausência
e volta!

Pisa devagar nessas brasas
afere
o calor da alma
bate bate bate bate
lentamente acende uma fogueira
faz-se tocha a consumir-se sob o sol.

Ando nessa noite à tua procura
com tudo, tudo, tudo o que sou
meu sexo úmido minha poesia tosca
e a droga da vida.

Volta.

4 comentários:

Aline Baú disse...

Volta.

Cora disse...

Quando o fogo e a umidade se encontram
Geram sinais de fumaça no abraço
Por isso piso devagar sobre essas brasas
Pra queimar mais e mais por esses passos

Cora disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Isildinha antunes disse...

Passando para visitar e amei seu blog seguindo parabéns
http://amoreluz10.blogspot.com.br/