"Uma atividade voluntária exercida dentro de certos e determinados limites de tempo e espaço, segundo regras livremente consentidas, mas absolutamente obrigatórias, dotado de um fim em si mesmo, acompanhado de um sentimento de tensão e alegria e de uma consciência de ser diferente de vida cotidiana." (Huizinga, Johan. Homo ludens: o jogo como elemento da cultura. 5ed. Saão Paulo: Perspectiva, 2007)
De todos os brinquedos que a vida me deu, o que mais me cativou foi o de jogar com as palavras. O jogo se faz completo quando escrevo e alguém replica, quando replico o que escrevem... É na intenção de reunir jogadores e assistência, que meu blog é feito.



terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Meu corpo luta contra o teu
sabe-se mais frágil
perdido em teu mar de músculos retesados

estratégicamente te engulo
frêmito que leva a termo
a contenda

à sombra da guerra
jazem em silêncio
dois vencedores

Um comentário:

Roberto Mibielli disse...

Suco de gente
Também se bebe
Também se toma
Suco de gente
É feito em partes
É fruto de artes
Muito sutis e deliberadas
As vezes estabanadas
As vezes brutas
Suco de gente
Como limonada
Deve ser espremido
Sem rancor nem amargura
E deve ser a pura
Ausência de pureza
Deve ter a beleza
Dos corpos murchos
E abandonados
E deve ter o cheiro
Dos desesperados