"Uma atividade voluntária exercida dentro de certos e determinados limites de tempo e espaço, segundo regras livremente consentidas, mas absolutamente obrigatórias, dotado de um fim em si mesmo, acompanhado de um sentimento de tensão e alegria e de uma consciência de ser diferente de vida cotidiana." (Huizinga, Johan. Homo ludens: o jogo como elemento da cultura. 5ed. Saão Paulo: Perspectiva, 2007)
De todos os brinquedos que a vida me deu, o que mais me cativou foi o de jogar com as palavras. O jogo se faz completo quando escrevo e alguém replica, quando replico o que escrevem... É na intenção de reunir jogadores e assistência, que meu blog é feito.



sexta-feira, 29 de maio de 2009

Capitu, por Luis Tati

Eu amo essa letra, gosto muito da interpretação que a Zélia Duncan deu à ela. Viva Luís Tati!

Capitu
De um lado vem você com seu jeitinho
Hábil, hábil, hábil e pronto:
Me conquista com seu dom!
De outro esse seu site petulante, wwwponto poderosa ponto com
É esse o seu modo de ser ambíguo
Sábio, sábio, e todo encanto, canto, canto...
Raposa e sereia da terra e do mar
Na tela e no ar.
Você é virtualmente amada, amante.
Você real é ainda mais tocante: Não há quem não se encante.
Um método de agir que é tão astuto,
Com jeitinho alcança tudo, tudo, tudo...
É só se entregar, é não resistir, é capitular
Capitu, a ressaca dos mares,
a sereia do sul captando os olhares,
nosso totem tabu
A mulher em milhares,
Capitu.

No site o seu poder provoca o ócio, o ócio
Um passo para o vício, vício, vício
É só navegar, é só te seguir e então naufragar
Capitu, feminino com arte, a traição atraente
Um capítulo a parte, quase virus ardente
Imperando no site,
Capitu

2 comentários:

Blenda disse...

Amo! Amo! Tatit é música para os meus ouvidos...
Ah é! Ele canta! E como!

Rúbia M. Laurelli disse...

meus amigos de faculdade apesentaram essapoesia mostrando intertextualidade com Dom Casmurro...adorei=]